Buscar
  • Maria do Mar Vieira

Evento AO SOM DO SILÊNCIO




Um sonho tornado realidade.

Tive a oportunidade de realizar um evento aliando a Arte ao Autismo. Foram meses a pensar na melhor maneira de as pessoas sentirem na pele o que é ser Autista, de perceberem as nossas dificuldades e sensibilidades, de nos compreenderem um pouco melhor. À medida que o evento se aproximava, a ansiedade e o medo de falhar aumentavam.

Quando anunciei o evento não estava à espera que o interesse e adesão fossem tão grandes. Isso deixou-me ainda mais ansiosa, com medo de não corresponder às expectativas. A uma semana do evento, este estava praticamente esgotado.


Como o espaço era pequeno, tive de fazer 8 sessões com 6/7 pessoas de cada vez e por isso dancei 8 vezes a mesma música. Não tinha uma coreografia, apenas alguns pontos de referência. Improvisei e em cada dança senti e transmiti aquilo que sentia sempre como se fosse a primeira vez que estava a dançar. Pois dançar é isto. Podia dançar 100 vezes e em todas elas daria a mesma energia. Podia estar uma pessoa a ver, ou podiam ser 500 pessoas, eu dançarei sempre da mesma maneira, dando sempre o melhor de mim, mesmo que no fim esteja 'a morrer'.



De seguida as pessoas ouviram o som de uma rotina diária, onde a intensidade e frequência estavam muito elevadas para as pessoas perceberem como muitos de nós ouvem e sentem os sons.

Nesse piso, as pessoas puderam também ler o que estava escrito na parede. Havia várias palavras fazendo referência aos interesses específicos mais comuns no Autismo.




No piso de cima, na primeira sala, tinha 3 televisores. Em 2 deles havia vídeos com estereotipias e no terceiro havia um vídeo sobre a interacção social, onde podiam ver a minha visão durante uma conversa e todos os pensamentos e dificuldades que me surgem.



A sala em frente estava coberta de tecidos de modo a que as pessoas se sentissem desconfortáveis no meio de tantas texturas. Ao fundo da sala havia uma mesa com vários cartões para as pessoas levarem, onde cada um tinha uma frase relativa à minha sensibilidade táctil.


Na sala ao lado havia um conjunto de fotografias, autorretratos sobre a ansiedade.



Neste piso, havia na parede números, sequências que eu vejo e decoro ao longo meu dia.



Por último as pessoas assistiram ao vídeo final.





Queria agradecer a todos os que estiveram presentes, e por todo o apoio que me deram! Nunca pensei que este evento tivesse tanto sucesso e se tornasse tão importante como se tornou! Não esqueço todas as palavras, olhares emocionados, lágrimas e abraços que recebi ao longo de todas as sessões. Este evento tornou-se muito especial para mim, especialmente por causa de vocês, que nada disto seria possível sem todo o vosso amor.

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo