Buscar
  • Maria do Mar Vieira

Shutdown




Há momentos em que nos sentimos completamente sobrecarregados, onde a quantidade de estímulos é enorme e o nosso cérebro não consegue processar tudo.

Estes momentos podem levar a um Meltdown ou a um Shutdown. As causas tanto para um, como para outro poderão ser as mesmas, a maneira como reagimos é que poderá ser diferente. Há autistas que só têm Meltdowns, há Autistas que só têm Shutdowns e há outros que poderão ter os dois. Como já expliquei anteriormente noutros posts, o Meltdown é quando não conseguimos lidar com o que se está a passar e exteriorizamos aquilo que se passa na nossa cabeça, gritamos, choramos ou agimos mais agressivamente. Ao contrário do Meltdown, no Shutdown reagimos de maneira oposta. O cérebro está tão sobrecarregado e a ansiedade é tanta que o nosso sistema desliga. Isto não quer dizer que deixamos de sentir. O Shutdown é interior, ou seja, que sofremos connosco próprios. Não conseguimos falar, dizer o que se passa. A nossa fala fica comprometida e muitas vezes ficamos paralisados, sem nos conseguir mexer. Sentimo-nos extremamente cansados e a única coisa que queremos é estar sozinhos no nosso canto e descansar.


Muitas vezes tenho um shutdown a seguir a situações sociais. Quando estou muito tempo com pessoas, onde tenho de me esforçar para interagir e comunicar, ou quando foi um dia muito intenso cheio de desafios. O meu cérebro fica muito sobrecarregado e parece que cheguei ao meu limite. Não me consigo mexer, fico deitada na minha cama, muitas vezes com os meus fones para reduzir o número de ruídos e as suas intensidades. A minha voz não sai e é escusado falarem comigo porque não consigo falar nem processar o que me dizem. Sinto-me tão cansada que nem me levantar da cama consigo nem comer. Os meus pais dão-me espaço e tempo, deixam-me sozinha quando estou assim. Muitas vezes, quando já passou bastante tempo fazem-me um chá e tentam que eu coma alguma coisa como uma torrada ou umas bolachas. Sinto-me reconfortada por saber que se preocupam comigo e que respeitam as minhas necessidades. Nesses momentos gosto que fiquem ao meu lado, enquanto bebo o chá, mesmo sem falarmos, sinto-me segura e aceite. Às vezes dão-me um abraço ou falam sobre algo que eu goste e aí eu já consigo dizer um ‘sim’ ou alguma palavra simples.


Quando tenho um Meltdown, normalmente é seguido também de um Shutdown. Depois de não ter controlo sobre mim e de ter chorado e gritado, fico extremamente cansada e sem conseguir falar e só me quero deitar.


É muito importante a compreensão nestes momentos. Tal como o Meltdown, o Shutdown não se trata de uma birra pois não é algo previsto e pode acontecer a qualquer momento, sem termos controlo sobre nós.

Também é importante ter bastante atenção pois normalmente as pessoas preocupam-se mais com comportamentos externos mas a verdade é que podemos estar a sofrer interiormente e é preciso cuidar, respeitar e ajudar-nos quando estamos a ter um Shutdown.

80 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo