Buscar
  • Maria do Mar Vieira

Dias de Descanso

Acordo. Sinto a cabeça muito pesada. Sinto-me extremamente cansada. Ponho-me de pé e faço um esforço enorme para andar mas só me consigo arrastar. Abro a janela do meu quarto e sou invadida pelo barulho lá fora. Dos meus olhos começam a sair lágrimas. Na minha mente só existem pensamentos desagradáveis. Faço a minha rotina diária de manhã mas estou tão cansada que demoro o dobro do tempo. As lágrimas continuam a correr pela minha face e a cada som que ouço correm cada vez mais. Vejo o meu gato, quero chamá-lo mas não sai nenhum som da minha boca. Não consigo falar. Qualquer coisa me irrita, o meu gato a miar, o som do micro-ondas, os carros a passar lá fora. Quero gritar mas não consigo. Apenas as lágrimas correm com mais intensidade. Sinto a cabeça cada vez mais pesada. A ansiedade vai crescendo pois estou a ver que hoje não irei ser capaz. Não tenho forças para enfrentar o mundo lá fora. Não tenho forças para falar, não tenho forças sequer para andar. Sinto-me incapaz. Sinto-me triste por não estar a conseguir ser forte hoje. Sinto-me sobrecarregada de estímulos que me impedem de ser forte. Quero conseguir sair de casa, apanhar o autocarro, ir trabalhar, falar com pessoas. Mas não consigo. Hoje não consigo. Estou em frente à porta mas algo me impede de sair. Sei que se sair, não vou conseguir lidar com o mundo. Não o vou conseguir ouvir, não vou conseguir reagir. Não vou conseguir ser a Maria forte e corajosa. A ansiedade cresce cada vez mais, tenho dificuldade em respirar. Sinto-me tão mal por não estar a conseguir.

Fecho a janela do meu quarto, deito-me por baixo dos lençóis e abraço uma almofada muito fofa. Meto os meus fones e finalmente ouço o silêncio. Adormeço no meio de lágrimas e pensamentos que me atormentam. Durmo quase o dia todo. Só ao fim do dia é que consigo dizer alguma coisa e tolerar alguns barulhos.



Há dias que me sinto tão cansada que não consigo sair de casa. Vamos acumulando todos os esforços, ansiedades e barulhos dentro de nós. Chega um dia que apenas não nos conseguimos mexer de tão sobrecarregados que estamos.

São dias necessários para descansar e carregar baterias. Não quer dizer que desistimos, que estamos a fazer birra e que não nos apetece ir trabalhar. Por vezes precisamos de mais de um dia para descansar. Precisamos de mais tempo para carregar as nossas baterias. Precisamos deste tempo para no dia a seguir voltarmos ainda mais fortes, corajosos e cheios de energia. É um tempo precioso para nós onde queremos estar sozinhos, no nosso cantinho, sem falar com ninguém. Eu preciso deste tempo para mim e agradeço a todos aqueles que o respeitam e me dão espaço para eu me tornar forte de novo.

90 visualizações
  • Facebook ícone social
  • Instagram
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now