Buscar
  • Maria do Mar Vieira

Fotografia

Hoje é o Dia da Fotografia e é dia de agradecer e recordar tudo aquilo que ela me deu de bom.

A coisa mais importante que ela me deu foi confiança em mim própria e coragem para enfrentar vários desafios. Foi graças à fotografia que andei de comboio sozinha e fui passar o fim de semana a uma cidade que não conhecia. Aprendi a desenrascar-me sozinha, a apanhar o metro, a orientar-me pela cidade e a combater algumas ansiedades e receios. Na fotografia estamos sempre a conhecer pessoas novas e isso obrigou-me a interagir com as pessoas, a aprender e a perceber como comunicar. E além disso temos um gosto em comum, a Fotografia, e por isso torna-se mais fácil estabelecer conversa. Foi algo que me permitiu treinar e evoluir a nível social.

Outra das coisas que a fotografia me deu foi grandes amizades. Antigamente não tinha amizades praticamente nenhumas, mas fui conhecendo pessoas incríveis, algumas delas que hoje chamo de amigas. Normalmente as pessoas de Artes têm uma sensibilidade diferente e através da Fotografia pude conhecer pessoas que me percebem e tentam sempre ajudar.

A fotografia permite-me ser eu própria e exprimir aquilo que sinto. Também me permite esquecer todos os problemas, sair de mim própria e encarnar várias personagens, personagens essas que muitas vezes gostava de ser como elas e ter aquela postura e confiança no dia e dia. É uma maneira de gostar mais de mim, ganhar autoestima e transforma-me numa pessoa melhor a cada sessão que passa.

Há uma estreita relação entre a fotografia e a dança pois ambas me ajudaram a superar várias dificuldades, a enfrentar vários medos e ansiedades, a confiar mais em mim. Não consigo separar as duas, pois através da fotografia posso-me exprimir tal como na dança, posso dizer aquilo que sinto. A dança está inconscientemente presente na minha maneira de fotografar. Posar é como fazer uma dança. E dançar é como posar em cada segundo, em cada movimento que faço.


Sinto-me uma sortuda por ter a fotografia na minha vida, pois sem ela não teria evoluído tanto, não teria superado tantos obstáculos e não seria a pessoa que sou hoje.


Dia da Fotografia e é dia de agradecer e recordar tudo aquilo que ela me deu de bom.A coisa mais importante que ela me deu foi confiança em mim própria e coragem para enfrentar vários desafios. Foi graças à fotografia que andei de comboio sozinha e fui passar o fim de semana a uma cidade que não conhecia. Aprendi a desenrascar-me sozinha, a apanhar o metro, a orientar-me pela cidade e a combater algumas ansiedades e receios. Na fotografia estamos sempre a conhecer pessoas novas e isso obrigou-me a interagir com as pessoas, a aprender e a perceber como comunicar. E além disso temos um gosto em comum, a Fotografia, e por isso torna-se mais fácil estabelecer conversa. Foi algo que me permitiu treinar e evoluir a nível social. Outra das coisas que a fotografia me deu foi grandes amizades. Antigamente não tinha amizades praticamente nenhumas, mas fui conhecendo pessoas incríveis, algumas delas que hoje chamo de amigas. Normalmente as pessoas de Artes têm uma sensibilidade diferente e através da Fotografia pude conhecer pessoas que me percebem e tentam sempre ajudar. A fotografia permite-me ser eu própria e exprimir aquilo que sinto. Também me permite esquecer todos os problemas, sair de mim própria e encarnar várias personagens, personagens essas que muitas vezes gostava de ser como elas e ter aquela postura e confiança no dia e dia. É uma maneira de gostar mais de mim, ganhar autoestima e transforma-me numa pessoa melhor a cada sessão que passa.Há uma estreita relação entre a fotografia e a dança pois ambas me ajudaram a superar várias dificuldades, a enfrentar vários medos e ansiedades, a confiar mais em mim. Não consigo separar as duas, pois através da fotografia posso-me exprimir tal como na dança, posso dizer aquilo que sinto. A dança está inconscientemente presente na minha maneira de fotografar. Posar é como fazer uma dança. E dançar é como posar em cada segundo, em cada movimento que faço.Sinto-me uma sortuda por ter a fotografia na minha vida, pois sem ela não teria evoluído tanto, não teria superado tantos obstáculos e não seria a pessoa que sou hoje.





Fotografias de: Carlos Gomes; Raul Santos; Marcelo Lopes; Bea Cabanelas; Adolfo Usier; João Queiroz; Jennifer Duarte; Luís Vassalo; Joaquim Albano Duarte; José Fadista; Jorge Oliveira; Rose Richards; Pedro Santos; Joana Meneses; Paulo Gandra; Simplicity Catcher; Beatriz Almeida; Mafalda Fialho; David Sineiro; Eduardo Rebelo; Sara Portugal; Nelson Gomes.

94 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo